bonita é a noite com sua fundura

Diante dos sistemas de controle que continuamente se inscrevem em nossas realidades e corpos, em que medidas necessitamos nos deseducar e criar modos desobedientes? Como pensar a formação de artistas em uma experiência que se informa nas subjetividades que o próprio processo faz aparecer? Quais dinâmicas, estratégias, políticas e expressões alimentam um modo de criação guiado pelo desejo de liberdade? Em uma noite onde a experiência se expressa rápida, flamejante, onde as vozes se animam e por vezes as armas baixam a sua guarda, nos propomos a ampliar os ecos dessas interrogações a partir de uma olhar sobre como temos nos movido até agora. Bonita é a noite com sua fundura é, sobretudo, o nome que demos a essa proposta lançada pelo programa de pesquisa e extensão Áfricas nas Artes na tentativa de utiliza-la como rascunho, compartilhamento e tensão do que aqui se revela, mesmo que misteriosamente. O seminário foi mediado pela professora e pesquisadora Emi Koide e contou com a presença de Jamile Cazumbá, George Teles, Kaick Rodrigues, Allan da Silva, Marcos da Matta - que atuam como artistas e pesquisadoras(es) na formação 2020 do Práticas Desobedientes - e Tarcisio Almeida, coordenador do programa.